“Harmonia, sintonia, música, paixão e vontade. Como diria Lula Queiroga: olho il…

“Harmonia, sintonia, música, paixão e vontade. Como diria Lula Queiroga: olho iluminado, braço arrepiado.”

É isso que o publico vai conferir nos dias 31/03 e 01/04, no Grande Teatro do Palácio das Artes no show da turnê do álbum “Segunda Pele”.


Interrogatório > com Roberta Sá
www.audiograma.com.br
Roberta Sá está em turnê para divulgar o seu mais recente cd "Segunda Pele", lançado com apoio do Natura Musical, e pra os fãs entenderem um pouco mais sobre o álbum, a cantora conversou com o Audiograma. Confira!

Os bastidores de ‘O nego e eu’

Segunda Pele é um disco diverso na carreira da Roberta. Trouxe apenas um samba – "O nego e eu", composto por João Cavalcanti, do Casuarina. A música tem uma história singular: foi composta a pedido da Roberta, e entrou no repertório do disco depois de já definido.

A cantora conta que relutava em gravar um samba para Segunda Pele. Porém, a importância do estilo musical na sua história e a conexão com os fãs falaram mais alto.

Sua ideia, então, era gravar uma resposta ao samba "Sou eu", composto por Chico Buarque para Diogo Nogueira. "Desde que eu escutei essa música, falei: eu quero uma resposta, porque a mulher também pode ir para o baile. Cadê o ponto de vista dessa mulher, que vai para o baile, deixa tudo, mas que prefere o homem dela?". Pediu a música a João, que compôs "O nego e eu". 

Mais do que a história de uma mulher apaixonada por gafieiras, Roberta interpreta a música como a sua própria relação com o gênero musical. "Para mim, tem muito a ver com a minha história com o samba, o nego sendo o samba. Posso flertar com outros ritmos, posso experimentar outras coisas, mas só tem sentido o nego e eu".

A seguir, você assiste aos bastidores da gravação, que contou com a participação das cantoras  Jussara e Jurema Lourenço, do Trio Ternura. João Cavalcanti também fala sobre a canção. 

Continuar lendo